Pessoa de plástico

Quando a aparência nos faz ter dificuldade em perceber aquilo que não é real

Parts of a plastic doll
Parts of a plastic doll  by Rawpixel.com 

Distraído com seu celular, Pedro responde mensagens enquanto divide sua atenção com sua visão periférica, atento aos sutis movimentos da fila de banco. Aquela tarefa o satura, tanto se resolvia eletronicamente, por que não uma simples atualização de cadastro? Por que ter de enfrentar filas? Tirar xerox? Aquele fato o deixava entediado, tédio este que ele procurava afogar com incessantes conversas com seus inúmeros contatos.

Mal havia mandado uma mensagem, recebia dezenas de notificações de vários grupos, o aplicativo fervilhava, enquanto Pedro, com dificuldades, evitava atropelar a pessoa a sua frente. De soslaio, ele percebeu que se tratava de uma mulher que com uma mão segurava uma menina pequena, com a outra, uma criança de colo.

De esguelha, ele viu a pequena menina por diversas vezes ficar na ponta dos pés, estendendo os bracinhos, tentando alcançar a criança de colo, uma atitude de afeto entre irmãs, Pedro pensou.

A voz da mulher repreendendo a criança insistente rompe a concentração de Pedro, que tenta digitar rapidamente respostas a todas as mensagens. Com surpresa, ele percebe, de canto de olho, que a mulher estende para a criança o bebê. Incrédulo, ele desvia a atenção do celular, ao perceber que a menina deixou o bebê escorregar e o agarrou pelo pescoço, num reflexo de intervir, ele se inclina.

Num choque, em meio a olhares de estranheza da mãe e da pequena, ele percebe que, na verdade, se tratava de uma boneca, cuja pele rosada de borracha iludiu sua percepção desatenta. Recompondo-se rapidamente, Pedro finge que nada aconteceu. Retomando seu celular e olhando para as notificações de dezenas de mensagens, ele pensa em quanto sua percepção, tão dividida em tantas conversas e notificações, assim como no caso da boneca, confunde relacionamentos reais com belas bonecas rosadas, que só entretêm enquanto não percebemos que são apenas aparência, sem vida e calor.

Leia também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.